O que é o LVM (Logical Volume Management)

O Logical Volume Management, também conhecido como Gerenciamento de Volume Lógico e pela sigla LVM, é uma forma mais útil de gerenciar e configurar diferentes servidores, partições e outras possibilidades.

Na prática, essa forma de gerenciamento está presente em todas as distribuições Linux e é bastante raro se deparar com uma distro que não permita este tipo de gestão. Pelo contrário, as principais distros contam com o gerenciamento por ser bem útil aos diferentes tipos de projetos.

Porém, o LVM costuma ser rodeado por dúvidas, especialmente sobre a definição, a importância e como tirar o máximo deste tipo de gestão. Justamente por isso, a Linux Solutions preparou este artigo e reuniu tudo o que você precisa saber!

O que é LVM?

LVM é a sigla de Logical Volume Management, que pode ser traduzido como Gerenciamento de Volume Lógico. Com ele, você configura pools de armazenamento ou partições de modo mais ágil.

Na prática, essa forma cria uma camada isolada entre o sistema operacional e o armazenamento ou as participações das máquinas conectadas à rede.

Hoje, o gerenciamento mais comum considera os armazenamentos já conectados e disponíveis para somente então buscar as partições disponíveis nos discos conectados.

Esse caminho mais longo resulta em mais caminhos e, consequentemente, tempo de espera. Em comparação às principais distros Linux, o LVM se mostra mais personalizável e, acima de tudo, ágil.

Na prática, os discos e partições ficam isolados com o propósito de conter diferentes discos e partições no dispositivo. Ou seja, o sistema não reconhece a diferença porque este tipo de gestão mostra apenas os dados, definidos entre grupos de volume e volumes lógicos, configurados por você anteriormente.

Indo além disso, tanto os grupos de volumes quanto os volumes lógicos não dependem de conexões físicas ao armazenamento. Por isso, você consegue criar novos discos e partições de modo mais dinâmico e sem muitas mudanças físicas.

Por fim, vale destacar que o LVM exclusivo de distros Linux também se destaca por ter recursos próprios. A popular extensão Ext3 não aceita snapshots, porém graças ao gerenciamento de volume lógico, você realiza snapshot sem ter que pôr fim a partição ou disco.

Quando o LVM deve ser usado?

O LVM é a principal alternativa para todo projeto que dependa do desempenho de uma ou mais pools de armazenamento. Com ele, todo o processo de gerenciamento se torna ainda mais fácil na sua distro Linux.

Inclusive, vale destacar que algumas distros consideram este tipo de gerenciamento padrão. Então, há a possibilidade de você tê-lo instalado e apenas ainda não o conhecia.

Porém, vale destacar alguns recursos antes de iniciar a sua gestão de volume de dados lógicos.

Como todo gerenciamento, você deve focar bastante em controle. Neste sentido, usar as opções de personalização, especialmente a possibilidade de renomear partições e discos, são úteis na hora de detalhar dados.

Nuvem privada, Redução de gastos, Segurança da informação

selo_associada_assespro-rj

Copyright © 2000 - - Linux Solutions
Av. Presidente Vargas, 482 - Sala 326 - Centro Rio de Janeiro - RJ
(21) 2526-7262 - vendas@linuxsolutions.com.br

03.519.862/0001-13 - Linux Solutions Informatica

Agencia de Crescimento